I’m alive, vivo, muito vivo

I’m alive, i’m alive.

E cinco meses dão espaço pra gente viver, viu?

Agora tenho cabelos mais curtos e enrolados. Financiamento miserável do governo pra estudar, e estudando como jamais se viu. Mais vestidos no armário, plantas na varanda e menos bichos em casa – Elvis sumiu não morreu. Mais quadros na parede, outros livros na estante, novas fotografias. Outros planos, mais confusões e novas ojerizas também – aula de cursinho, nhééé. Menos grilhões, mais responsabilidades. E lá se foram 7 anos de blog, entre idas e vindas. Mais taças de suco de vinho integral, mais caipirinhas e doses de tequila. Novas coisas no fogão lufa-lufa, nas panelas que transbordam e na pedra pra pão. Uns quilinhos a mais, uns quilinhos a menos. Mas, definitivamente, mais legumes e frutas, menos carne – de maneira não tão intencional. E mais magia na cozinha. Porque não?

A vida segue. Às vezes mais, às vezes menos. Mas segue…