Bobices – 1

Eu tenho essa mania incrível de achar que tenho que ficar me explicando pros outros. Talvez tenha a ver com alguma parte de uma infância de criança solitária na escola, desesperada para fazer amigos. Não sei.
Em que medida adianta, finalmente? As pessoas tem imagens tão concretas sobre a gente, às vezes, que você acaba gastando seu tempo numa batalha perdida. “Olha, não sou menininha! Não sou feminazi! Não sou elitista! Não sou revolucionária! Não sou!”. Se as pessoas não dão conta de captar, é melhor deixar pra lá. Muitas vezes, o problema é com elas, mesmo. Pode ser com você, também. Mas se explicar não leva a nada.
Uns acham que sou revoltada demais. Que discordo de coisas bobas, como preconceitos de gênero ou desigualdade social, enfim, coisas que acho que são essenciais para pensar a vida no planeta e seu lugar nele. Outros vão achar que sou acomodada, porque trabalho no governo, porque não concordo com todos os ditames marxistas, porque não seguro qualquer bandeira da revolução. Vão achar que eu não tenho opinião crítica e que só quero ganhar dinheiro e ter uma vida confortável. Paciência. Pra que se ocupar disso?
Só faz a gente ficar mais paranóica enquanto a vida vai passando.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Bobices – 1

  1. Oi Taís, tudo bem?

    O Guilherme me falou de você para uma pesquisa etnográfica em um restaurante, quero muito falar contigo! Estou procurando alguém com o teu perfil para fazer uma pesquisa etnográfica simples sobre a cultura italiana (cores, imagens, frases, pessoas, lugares, artistas, comida).

    Isso serviria de referência para desenvolvimento de posicionamento de marca. A minha ideia é “italianar” o espaço com todas essas simbologias e iconografias da cultura italiana.
    Meu cliente é o restaurante Peperoncino daqui de Brasília: http://peperoncino.com.br/

    No caso, se você topasse, a sua pesquisa serviria de base para o redesign de marca, layout interno do restaurante, cardápio, fachada externa e menuboard. E eu gostaria de acompanhar, trocar ideias e fazer junto contigo, se fosse possível. Gosto de aprender, tenho uma percepção boa das coisas e sempre acho que duas cabeças pensam melhor do que uma. Porém, o crédito seria totalmente seu 😉

    O que acha? Vamos conversar?

    O meu facebook me proibiu de enviar mensagens ou adicionar mais pessoas (rsss). Me passa seus contatos? E-mail, telefone, sinal de fumaça, qualquer coisa? Se quiser, me adicione no face (você pode):

    https://www.facebook.com/thamara.vilela

    Seguem os meus contatos:
    Tel fixo: 3547-1012
    Cel (ainda é o de Goiânia): 62 8118-5561 TIM
    Skype: thamara.vilela

    Agradeço seu retorno e torço sinceramente pela nossa parceria.
    Vai ser maravilhoso! :))

    Abração,

    Thâmara Vilela

  2. As pessoas tem tempo demais pra analisar nossos hábitos e gostos (quando podiam estar descobrindo quais são seus próprios gostos). E eu ando tããão cansada, que se for pra gastar energia com alguma coisa, vai ser comigo, e não com o que os outros pensam.
    Você chama a atenção das pessoas, meu anjo, acaba incomodando. Principalmente porque você critica as coisas com bons argumentos, de um jeito discreto, não impõe verdades pra ninguém. Num mundo cheio de gente frustrada, “comentarista de portal de notícias”, “justiceiro de facebook” e “leitor de veja”, você, tão segura de si, tão de bem com a vida, com tanta educação e esse sorriso liiindo… chama atenção. É diferente. Liga não.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s